Anestésicos Tópicos – Tudo que você precisa saber sobre manipulação, estabilidade, pH e concentrações de uso

Anestésicos Tópicos - Tudo que você precisa saber sobre manipulação

Em nosso serviço de Suporte Farmacotécnico, recebemos diariamente diversos tipos de questionamentos feitos pelos assinantes. Podemos dizer que a campeã entre as perguntas de 2020 foi sem dúvida os problemas encontrados na manipulação de géis anestésicos aplicados em inúmeros procedimentos estéticos. Vamos conversar sobre anestésicos tópicos – tudo que você precisa saber sobre manipulação:

A preocupação se iniciou ao observar o uso de elevadas concentrações de lidocaína, associações de vasoconstritores e bases transdérmicas a essas fórmulas. Além disso, percebemos que a dispensação muitas vezes era feita para esteticistas, que não podem prescrever concentrações além dos MIPs.

Por isso, devido a grande demanda pelos géis anestésicos aplicados TOPICAMENTE para ação LOCAL e a dificuldade de estabilidade da fórmulas quando associado anestésicos e vasoconstritores, segue orientações gerais sobre o uso desses produtos:

1. A concentração de anestésicos mais elevada permitida em nosso mercado é a combinação de lidocaína e tetracaína (7%/7%), com venda restrita sob prescrição médica;

2. A concentração máxima permitida de lidocaína para ser vendida como MIP (medicamento isento de prescrição médica) é de 4% ou a combinação de lidocaína + prilocaína (2,5%/2,5%);

3. Considerando ainda que os anestésicos benzocaína (1%) e lidocaína não possuem dados de segurança em dosagens acima do que foi citado (7%), a formulação não deve ser manipulada (nem mediante prescrição médica);

4. Considerando que os profissionais que realizam o procedimento de micropigmentação de sobrancelhas não são médicos, em nenhum momento esse tipo de formulação pode ser dispensada a eles;

5. Em alguns casos, observamos a presença de facilitadores da permeação cutânea como DMSO e PHOSAL® e Transcutol® como também a utilização de base transdérmica para esse tipo de fórmula – esses agentes são facilitadores de permeação, e farão com que a droga atinja a corrente sanguínea de forma muito mais fácil. Por exemplo: caso essa formulação seja aplicada em uma área grande, ocorre o risco de parada respiratória no paciente.

A fórmula é para ação LOCAL. E você não usa a base transdérmica para os ativos atingirem a corrente sanguínea e terem efeito sistêmico? Então a intenção é fazer o anestésico ter absorção sistêmica? Não né!

Por isso não faz sentido usar esse tipo de veículo.

O veículo que está sendo bastante utilizado, inclusive para suportar o pH que essa formulação precisa estar, é o gel de Natrosol, creme não-iônico ou ainda uma pomada à base de vaselina.

5.1. A “remoção” do estrato córneo auxilia na absorção do anestésico, então procedimentos desengordurantes ou ablação podem ser utilizados.

6. Em relação ao pH da formulação:

Sugere-se ajustar o pH da fórmula para 9 – 9,5.

Para serem eficazes, os anestésicos tópicos devem atravessar as camadas superficiais da pele e alcançar as terminações nervosas da derme. A espessura do estrato córneo e o pKa (constante de dissociação para que o ativo esteja 50% ionizado e 50% não ionizado) de um anestésico determinam quão bem o medicamento tópico pode penetrar no estrato córneo.

Os anestésicos são bases fracas, e seus valores de pKa variam de cerca de 8 a 10. Quando entrar em contato com a pele, tanto forma ionizada como não ionizada estarão existentes. As formas neutras atravessam as membranas com facilidade e as formas com cargas positivas se ligam com muito mais afinidade ao sítio alvo.

7. Seguindo às concentrações máximas permitidas, deve-se aplicar o produto e deixá-lo agir por 40-60 minutos antes de realizar o procedimento, sob oclusão, uma vez que a pele intacta dificulta demais a penetração desses ativos.

8. Em relação ao uso de vasoconstritores para aplicação tópica:

8.1. O vasoconstritor mais comumente utilizado é a epinefrina.

8.2. Existem alguns lugares (internet em geral e estudos científicos) que citam o uso da epinefrina para reduzir o sangramento excessivo e prolongar o efeito do anestésico tópico, entretanto o uso da epinefrina para essa indicação segundo ESTUDOS CIENTÍFICOS é através da sua aplicação injetável e não tópica. Não confunda ação local como sinônimo de aplicação tópica.

A aplicação tópica terá efeito local, e a aplicação injetável (nesse caso) também será para efeito local, mas não tem a barreira do estrato córneo.

8.3. Os produtos comerciais que vendem anestésicos com epinefrina deixam bem claro para usar com “pele aberta/lacerada”, justamente pela falta de respaldo científico do efeito da epinefrina em pele intacta. Entretanto, em “pele aberta”, é seguro utilizar lidocaína a 20% como estão fazendo? E os riscos? É em uma pequena extensão de pele?

8.4. Outra informação importante sobre estabilidade do anestésico com epinefrina:

Como foi citado antes, o pH ideal para o anestésico fazer efeito é entre 9 e 9,5, porém nesse pH a epinefrina tem sua estabilidade alterada e oxida mais rapidamente e por isso muitas fórmulas voltam com cor escura.

Resumindo, o vasoconstritor é eficaz se aplicado de forma injetável, pois em pele intacta não existe estudos comprovando eficácia. Além disso, o pH ideal do anestésico acelera a oxidação do vasoconstritor.

Ainda em relação a dosagem de lidocaína

Existe poucos estudos que testaram o uso de 20% de lidocaína, porém precisa ser em pele intacta, precisa de oclusão e os resultados não foram melhores por causa do aumento da dosagem.

Existe um produto que é vendido pelos sites que usa essa dosagem (lidocaína 20%). Porém ele deixa bem claro.

  1. Pele intacta sem epinefrina ✖️
  2. Pele lacerada uso de epinefrina ✔️

Como ele estabiliza a epinefrina no creme com anestésicos ?‍♀️

Se você não ajustar o pH para 9,5 a epinefrina ficará estabilizada, porém o efeito anestésico poderá estar comprometido.

E ai? Essas informações ajudaram você a se sentir mais seguro na manipulação e dispensação dos géis anestésicos?

Compartilha com amigos também, vamos contribuir com nossos colegas!

 

Clube das fórmulas
Clube das fórmulas, clique na imagem acima para acessar

 

 

Grupo de fórmulas no Facebook, clique aqui.

Deixe um comentário

Contato

Entre em contato conosco através do nosso telefone ou envie-nos uma mensagem através do número de WhatsApp abaixo.